4 Followers
14 Following
renata

Anotações Literárias

Currently reading

A Sombra do Vento (El Cemeterio de los Libros Olvidados #1)
Carlos Ruiz Zafón, tradução: Marcia Ribas
Oscura Traición
Larissa Ione
Captive in the Dark - C.J. Roberts 3,9 estrelas

Bem, terminei o livro e ainda não sei bem que nota dou para ele. Porque... apesar de ter gostado, durante uma boa parte do livro eu o achei morno, até gostei, mas não valeria mais que 3,5 estrelas.

Mas - não sei bem a parte exata - a partir mais ou menos do capítulo 11 e 12 a história melhorou e gostei bem mais. Talvez tenha achado morno a maior parte por não acontecer lá muita coisa, o que partir mais ou menos desses capítulos isso mudou: tiveram acontecimentos, ações, revelações e se pode saber algo mais do Caleb - o que me fez começar a me interessar nele e talvez até gostar.

Desde o começo, não achei o Caleb um monstro como ele se dizia ser. Veja bem, eu não acho que o que ele fez é certo, ao contrário, mas mesmo fazendo o que fez ele sempre foi - como posso dizer? - cuidadoso, honesto com a Livvie. Em muitos momentos pensei que se tirasse do contexto de sequestro e cativeiro, ele se podia dizer mais como um Dom amante que outra coisa. E depois, quando explica um pouco do que ele passou... Ah, que triste!

Mesmo achando morno, foi interessante a descrição de como se sentiam, os conflitos mentais, tanto da Livvie quanto do Caleb. Tinha que ter, ou se tornaria algo sem sentido ou vazio os personagens.

Sobre a Livvie, eu não a achei incrível, mas também não me incomodou - só que tinha muito choro, mas ao mesmo tempo dava para entender, né? Ela foi só ok para mim.

Quero ler o próximo e só gostaria que tivesse mais ação nele, sei lá que acontecesse mais coisas.

Legend : a Verdade Se Tornará Lenda  - Marie Lu 3,9 estrelas

Na verdade ainda não sei bem que nota dar. Gostei, mas não adorei. Gostei o suficiente para valer mais de 3 estrelas, mas não o suficiente para 4. Não sei, durante a leitura sempre me veio a mente que se a história fosse só do ponto de vista do Day, teria gostado bem mais. Mas antes de explicar isso, vou dizer sobre outra coisa:

Escrita: Achei fluida e teve bastante ação ao longo do livro. Mas ao mesmo tempo não foi o suficiente para me fazer devorar... talvez seja por causa de alguma personagem...

Day: Não foi problema dele, pois gostei dele desde o começo do livro. Me interessei por sua história e as partes dele me mantinham a vontade de querer saber mais. Gostei de sua família - que a maior parte só foi "vista" através das memórias dele. Bem que gostaria que ao longo do livro eles convivessem mais...

June: O meu problema foi com ela. Criei uma antipatia desde o começo - não sei bem quando, mas creio que logo na sua primeira parte. Arrogante, talvez fosse uma palavra que a descreve bem. Não me desceu! E, ao longo da história isso só foi crescendo: não me interessei pelo seu ponto de vista, quando sabia que viria alguma parte dela já perdia a vontade de continuar - ficava ainda mais lenta a leitura com isso -, e suas atitudes... Até entendo o que ela fez, mas isso não significa que tenha que achar bom... Não gostei mesmo! Não cheguei a "odiá-la", mas não gostei! Próximo ou ao final do livro foi que ela deu uma melhorada, mas isso não fez com que eu gostasse dela mesmo assim. Apesar dela eu não ter gostado, me interessei pela sua família. Gostaria de que o irmão dela tivesse vivido mais, acho que daria boa história com ele - não sei como.

Enfim, não sei se continuarei com a saga, mas se for, não creio que será tão cedo.
Deimos #1 - Patrick Fillion, Logan Kowalsky *3,9
Escravos do Amor (Casa do Prazer, #1) - Kate Pearce Gostei bastante. Gostei da história e da escrita - que é fluida e me manteve o interesse até o fim. Gostei também dos personagens - pobres do Valentin e do Peter - incluíndo do casal em si.
E as cenas hot, eram realmente hot.

Leitura legal para passar o tempo sem muitas complicações. Claro, se você gostar do gênero.
Estilhaça-Me  - Tahereh Mafi Não sei bem por onde começar...

Bem, talvez dizendo que este livro é mais um romance do que uma distopia. A distopia foi usada mais como um "pano de fundo" para a história e achei bem fraquinho como foi abordado no livro - não sei em relação aos próximos livros da saga, mas neste foi assim. Quando percebi isso - não sei em qual parte do livro -, então pensei que, está bem, vamos olhar por este lado e deixar de lado o que seria o assunto do livro, quem sabe mesmo assim não goste?

Bom, no geral, até que gostei da história, do romance em si, embora não seja nada demais. Tinha também um bom ritmo, o que talvez de algum modo colaborou que me prendesse um pouco a atenção para continuar lendo e querendo saber mais da história - se tivesse me entediado, aí que não daria para continuar de forma alguma, mas explico o porque mais abaixo.
Gostei dos personagens - ao menos nenhum me irritou -, embora também eles não sejam lá memoráveis. A protagonista Juliette, não era uma heroína em um sentido de que era a mais forte eem tudo e lutava contra tudo e todos, mas também não era do tipo insuportável. Por tudo que ela passou, era de se esperar certos comportamentos. Gostei do Adam, do James, do Kenji...

Olha, se fosse só por isso era provável que daria umas 3 ou talvez até 4 estrelas, porque achei a história legalzinha, nada inesquecível, porém daria para passar um bom tempo e se distrair com algo mais leve.

Só que... se a balança já não pendia tão alta por causa da história, despencou de vez para o lado baixo, por causa da... escrita.

Oh céus... por onde começar a falar dessa escrita...

Foi tão má, mas tão má, que se fosse só por isso daria menos 20 estrelas! Eu não consigo entender porque de escrever desse jeito se tinha uma história que simplesmente serviria como um entretenimento, que poderia ser interessante - acabar sendo assim algo desse tipo!

Antes de pensar em comprar o livro e mesmo quando fui me decidir que queria lê-lo, li algumas opiniões e muitas delas diziam que havia muitos riscos durante a leitura, no texto, e aí fiquei preparada para que viesse isso e até que me irritasse por isso - muitas pessoas se irritaram.

Durante a leitura, me incomodou bastante esses riscos, porém, nada me irritou tanto quanto outras coisas nessa escrita:

INÚMERAS AS VEZES EM QUE SE REPETIAM PALAVRAS NUMA MESMA FRASE! Era 3, 4, 5(!) vezes repetidas as palavras em uma mesma frase, em que eu ficava me perguntando o POR QUE disso! Ah, também haviam as FRASES repetidas!

Vamos aos exemplos:

"...Decidi que suas ações eram mais imaturas que ameaçadoras. Ele me parece tão familiar tão familiar tão familiar."...

"...Seus lábios seus lábios seus lábios seus lábios"

"...Minha pele está suando frio, meus dedos tremem de repulsa, minhas pernas são incapazes de suportar o esbanjamento o esbanjamento o esbajamento o esbanjamento egoísta nestas quatro paredes..."

"...Não quero que ele solte meu corpo nunca nunca nunca nunca."

"- Ele vai me dar um jantar? - Estou morrendo de fome meu estômago é um buraco atormentado de fome estou tão faminta tão faminta tão faminta"




Olha que peguei essas frases aleatoriamente, imagine se fosse analisar mais...

E outra coisa que precisava de corte eram as INTERMINÁVEIS DESCRIÇÕES DE SENTIMENTOS de Juliette! ERA EM TODO PENSAMENTO, EM TODO TÉRMINO DE FALA, EM TODO PARÁGRAFO que havia isso E DURANTE TODO O LIVRO e eu continuo me perguntando o POR QUE, PARA QUE, ISSO TUDO?! Ah, também era tanta analogia ruim, tanta metáfora ruim, tanto para descrever os sentimentos de dela quanto para todo o resto, que só consigo pensar que era para ficar bonito, romântico. Mas esse "floreamento" no texto só me pareceu forçado, irritante, chato, desnecessário e exagerado! - Veja bem, eu sou a primeira a querer que faça diferente, que não seja igual a todo mundo, mas isso aqui não dá! Era uma frase lida e revirava os olhos por não crer no que estava lendo!

Quer ver? Então mais um exemplo:

"...— Ei. — Sua voz é suave tão suave tão suave. Seus braços são mais fortes que todos os ossos de meu corpo. Ele puxa minha figura enfaixada para perto de seu peito e eu estilhaço. Dois três quatro mil estilhaços de sentimento perfuram-me o coração, derretem-se em gotas de mel quente que suavizam as cicatrizes de minha alma. O cobertor é a única barreira entre nós, e ele me puxa para mais perto, mais firme, mais forte, até que escuto as batidas a sussurrar-lhe profundas dentro do peito, e o aço de seus braços ao redor de meu corpo desfaz todos os nós de tensão em meus membros. Seu calor derrete os pingentes de gelo que me sustentam de dentro para fora e eu descongelo, descongelo, descongelo, meus olhos tremulando rápido até que caem fechados, até que lágrimas silenciosas estejam jorrando-me rosto abaixo e eu tenha decidido que a única coisa que quero é congelar seu corpo segurando o meu."

Decidi por um parágrafo que caba dizendo bastante sobre a escrita.

Embora esteja algo curiosa sobre a história, queria saber como acaba, de verdade ao pensar que teria que enfrentar essa escrita de novo já me faz perder a pouca vontade que tenho. Não sei se terei coragem para tal coisa.

p.s. Desculpem-me os "gritos", mas é que não havia como eu dizer isso de um modo "baixo", foi muito irritante.
O Lado Bom da Vida - Matthew Quick, Alexandre Raposo 4,3 estrelas

Quando comecei a leitura, rapidamente minha mente fez uma associação do personagem Pat com o personagem do Cirilo, de uma novela chamada Carrossel - que para quem não viu, é uma novela infantil, que eu me lembre criada na Argentina mas que aqui no Brasil a versão que é muito conhecida e adorada foi a mexicana (que cheguei a ver, mas como era muito menina, não lembro mais direito, apenas que gostava). No ano de 2012, fizeram uma versão brasileira, que ainda passa mas não falta muito para acabar, que faz bastante sucesso.

Por que? Bem, claro que não pela doença ou algo do tipo, e sim pela adoração que o Pat tem pela Nikki, coisa que o Cirilo tem pela Maria Joaquina. Tudo o que o Cirilo faz é pensando se a Maria Joaquina irá gostar e para agradá-la. Porém ela sempre o maltrata e rejeita-o. E mesmo assim o Cirilo sempre pensa bem dela, mesmo ela o tratando dessa forma.
Outro casal que também me fez a associação com outro de Carrossel, foi o Ronnie e a Veronica, que me pareceu o Davi e a Valéria, já que tudo o que a Valéria manda o Davi obedece. Enfim, não pense que fiz essas analogias para uma lado ruim, não é nada disso, pelo contrário. Associou-se assim em minha mente creio que também por ver a novela que fez parte de minha infância e que gostei muito. E como já viu que as estrelas ao livro não foram poucas...

Agora comentando sobre o livro:

Gostei bastante da leitura. Gostei da escrita e foi fácil de ler. Gostei também de como foi abordado as confusões mentais do Pat. Gostei porque foi de uma delicadeza, de uma forma que me pareceu tão natural e ao mesmo tempo isso tudo não tornou pesada a leitura do livro. Gostei das relações de amizade, seja com os irmãos quanto com os companheiros de torcida de time. Gostei da relação de amizade e da forma como o médico, o Cliff, tratava o Pat. Era muito interessante ver que o médico não impunha coisas para o Pat e quando ele chegava com certas ideias fixas ao consultório, ele falava algo simples até, que fazia com que o Pat se esquecesse mais do problema criado em sua mente. Gostei dos outros personagens também, como a "colega boca suja" Tiffany, de sua família - tirando o pai -, de seus amigos.

O que não gostei: acho que apesar de muitas das cenas nos jogos de futebol americano serem importantes, foi um tanto cansativo ler tantas descrições sobre, creio que por não entender nada do esporte e também não estar nem um pouco afim de aprender. Achei também que o final do livro ficou um pouco apagado, poderia ter mais coisas, sei lá, algo a mais para não ficar essa sensação de que deveria ter mais, que "o filme da vida de Pat" não acabasse morno.

Por falar em filme, ainda não o assisti, porém quero fazer isso em breve. Só vi o trailer e me pareceu com muitas diferenças em relação ao livro. Espero que não seja para pior...

Voltando ao livro, é uma leitura agradável e recomendo-a se você quiser um bom tempo em algum livro.
Sangue Quente (Em Portugues do Brasil) - Isaac Marion Aviso: Esta review será... contraditória...

Não consegui chegar ao fim. Parei no "Segundo Passo". Resolvi parar porque, sinceramente, não me despertou interesse a leitura. Antes de continuar, acho melhor dizer que zumbis não são meu tipo. Dito isto, para que então começar a ler algo desse tipo? Ora, queria dar uma chance, afinal, quem sabe eu não mudasse de ideia? Não sou do tipo que não muda a opinião de jeito nenhum, tento deixar a mente aberta para que se o argumento for bom e interessante, porque não? Mas no caso desse livro, comecei no começo do mês de Março e até agora não consegui chegar nem na metade. Não que eu não pudesse demorar mais tempo para lê-lo, mas é que... simplesmente não me despertou nenhum interesse. Não tenho curiosidade em saber mais, em saber como irá terminar, e enfim, não senti nada em relação a história. Ficou como "uma leitura tanto faz". Tanto faz eu ter lido o livro todo, como ter lido uma parte, como não ter lido nada.

Até já havia tentado algo em leitura e tv em relação aos zumbis - já li una dois volumes da HQ do Walking Dead, e um tempo antes a série de tv dessa mesma hq. E... nada. Até achei mais interessante a hq do que a série, porém, mesmo assim, não me deu vontade de saber mais. Então creio que é melhor aceitar que não é lá do meu gosto e tentar não ler algo do tipo tão cedo - se é que tentarei ainda.

Agora, a contradição:

Na primeira página do livro, eu ri. E aí pensei: ah, será que dessa vez passo a me interessar por zumbis? Bem, já contei o que aconteceu mais acima.

Mas, tenho que dizer que mesmo sendo esquisito a história sob a perpectiva de um zumbi - ele pensando e falando(!), etc -, o jeito com que o autor o escreve faz com que você pense que aquilo pode ser de fato um zumbi que faz o que faz, pensa o que pensa e todo o resto. E de verdade, a escrita é fluída, mesmo sendo o livro narrado por um zumbi que pouco fala.

Bem, não sei mais o que pensar. Porque não detestei o livro. Acho que irei ver o filme, ao menos para saber o final sem ter que lê-lo.

Se você tiver ao menos um mínimo interesse em histórias de zumbis, então é provável que você goste, pois a história se lê bem. Bom, se você esperar que seja algo de terror, melhor não lê-lo, pois o máximo de terror que tem é falando como eles comem, porém mesmo isso me incomodando um pouco, não é algo lá repulsivo.

Slave to Passion (A Tale of Shar, #1) - Jessica Coulter Smith 3,5*
La magia quema  - Ilona Andrews Adorei! Adorei!

Pena que acabou...

p.s. Espero que nos próximos livros não demore tanto para aparecer o Curran. Neste aqui, pela contagem do ebook, foram umas 85 páginas para ele aparecer! Assim, demora demais a diversão!

E seria bom também que aparecessem mais tipos feito o Bran... gostei tanto dele!
Battle Royale, Vol. 1 - Koushun Takami, Keith Giffen, Tomo Iwo, Masayuki Taguchi 4,7 estrelas
Um Estudo em Vermelho   -  Arthur Conan Doyle Primeira parte do livro...

4,5 ou 5 estrelas

Gostei tanto desta parte! Me fez lembrar tanto...





Agora, alguns dos hábitos do Sherlock, John...











...



Os gifs acima fazem parte de uma série britânica, da BBC, chamada Sherlock (que vi a um certo tempo antes de ler este primeiro livro) - que conta sobre como seria Sherlock nos dias atuais. Sei, os livros são de muito tempo e a série sendo de temática atual não tem a ver nada com nada. De certo modo é, por exemplo a história na série de tv não é fiel a tudo no livro. Mas creio que o que me fez associar é a essência, que essa sim, está toda ali. Os jeitos e tudo o mais dos personagens está tão perfeitamente interpretados, que não consegui imaginar outras feições para os personagens durante a leitura.

Bom, recomendo a série para quem ainda não viu. Acho difícil se arrepender.

Segunda parte do livro...

2 ou 2,5 estrelas

Sobre esta parte... foi muito difícil conseguir terminá-la! Muito mançante! E mesmo sendo um livro pequeno, e faltando pouco para terminar, parecia que não acabaria nunca! Quanto mais lia, mais páginas e/ou palavras aparecia! Muito, mas muito cansativo!

Sei que para a história foi importante, para explicar as coisas e tudo mais. Mas foi... como disse mais acima.

Pretendo continuar com os livros do Sherlock Holmes, mas torcendo que não venham mais assim, como nesta segunda parte.


Because You Tempt Me - Beth Kery 3,5 estrelas
Dos, por la pasta  - Janet Evanovich Adorei!

Neste segundo livro, embora a Stephanie não estivesse mais tão inexperiente, ainda assim ocorream suas trapalhadas - e acho que mesmo quando ganhar experiência, ainda assim não perderá isso, é sua característica. O que faz nós leitores rirmos bastante. Porém, meu personagem favorito, mais uma vez, é a vovó Mazur. Com ela, tenho gargalhadas! Além das gargalhadas, eu a adoro por ser tão sagaz e sem medo de enfrentar as coisas.
Como não gostar dela quando pega uma 45 da bolsa para atirar num bandido para ele aprender a se comportar com os velhinhos?

Uma personagem que apareceu um pouco e que me chamou a atenção foi a Lula. Acho que ela pode dar bons frutos - o que para nós leitores irá provocar risos. Espero que ela apareça mais nos próximos livros.

Na verdade, quero que a Lula e a Mazur se juntem a Stephanie e formem um time. Isso é que seria bom! Só imagino as gargalhadas que poderão nos dar todas juntas! Quero time!

E para terminar, um personagem que apareceu mais neste livro foi o Joe Morelli. E devo dizer que estou começando a gostar mais dele. Não que não gostasse antes, mas agora é que ele se mostrou como policial e não estava do lado de lá da história. Estou torcendo por ele e Stephanie, apesar dele ser tão danadinho com ela e aprontar certas coisas. Morelli, abaixa a guarda!

Bom, quero continuar com a série, que são sei se já é, mas se tornará uma das minhas favoritas. Falta pouco para isso.
La mecánica del corazón - Mathias Malzieu, Vicenç Tuset 3,5 estrelas

Quando estava no começo da leitura, o achei um tanto estranho. Não exatamente um estranho ruim, apenas pensava um pouco: ah é? Como assim este bebê pensa? E fiquei um tanto confusa.

Mas a medida que fui lendo, a história foi me "pegando" e ficava com mais interesse sem perceber o quanto ia lendo. E por estar numa fase sem que tivesse muita vontade de ler, isso foi um ganho grande.

A história, é de uma delicadeza, de uma mágica que te envolve rapidamente. Fiquei encantada.

Uma boa escolha para começar as leituras deste ano de 2013.

p.s. O autor, que é músico e tem uma banda - que se chama Dionysos -, criou um álbum para este livro. O álbum se chama "La Mécanique Du Coeur". Aqui duas músicas:

http://www.youtube.com/watch?v=dl-ApE9nhog

http://www.youtube.com/watch?v=xAXgqqcrNjw
Mafalda #2 - Quino 4,5 estrelas
Acho Que Posso Ajudar (DN Contos Digitais, #15) - David Machado,  Mafalda Milhões 3,9 estrelas

Muito fofinho!